“Saber fazer, mas saber ser”

Materiais copiar
Um toque personalizado para o seu Natal
10 de dezembro de 2015
Coleções-1
Star Wars na palma da mão
10 de dezembro de 2015

“Saber fazer, mas saber ser”

Senac_Panorama1

Senac investe R$ 2 bilhões em formação gratuita e de qualidade

 Apenas em 2013, o Senac de Campo Mourão formou, de forma gratuita,  mais de 900 pessoas em diversas áreas, o que gerou um investimento de R$ 2 milhões na formação dessas pessoas. Isso apenas pelo Programa Senac de Gratuidade (PSG) que, além das aulas no próprio prédio, também levou a carreta-escola de moda e beleza para Goioerê, Mamborê e Barbosa Ferraz. Em 2014, a carreta-escola estará em Fenix o primeiro trimestre do ano. “A ideia é levar o Senac para cidades para que o aluno obtenha a prática profissional e a vivência de um salão de beleza”, explica o técnico de relações com o mercado, Matheus Mamede.

O objetivo do Senac, com os cursos do PSG e da parceria com o Governo Federal no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) é o ingresso, a reinserção e a manutenção no mercado de trabalho através da qualidade profissional. “São oferecidos cursos  gratuitos de capacitação a cada bimestre”, salienta Matheus.

O aluno do curso de Padeiro e Confeiteiro, Itamar Gonçalves dos Santos, acredita que o curso abriu os seus horizontes. “Pretendo trabalhar cozinhando em casa, para vender”, afirma. Ele já havia feito outro curso no Senac e decidiu investir ainda mais na carreira. “Os próprios professores nos estimulam a aprender mais”, garante. A colega de turma, Angela do Carmo Custódio, concorda. “O curso é muito bom e procuramos cada vez mais conhecimento”, diz.3

Os cursos ofertados são em diversas áreas, como beleza, gestão, comércio, saúde, hospitalidade e informática e costumam ter a duração de 160 a 200 horas. Com o PSG, o Senac busca garantir condições de oportunidade e igualdade no mercado de trabalho. “Além de transformações significativas de vida”, considera o técnico de relações com o mercado.

Já no Pronatec, os cursos são para públicos diferentes e, muitas vezes, específicos, como aqueles que atendem a critérios do Ministério do Desenvolvimento Social ou até mesmo para estudantes do ensino médio. Para 2014, Matheus assegura que já estão sendo pactuadas novas turmas com o Governo Federal. Nesses cursos, o aluno recebe R$ 2 por hora/aula estudada.

Foi o que aconteceu com os alunos que se formaram no curso de Fotografia neste ano, Luiz Olmedo e Gabriel Kovalski. Para Luiz, poder partici- par de um curso pelo Pronatec foi um grande divisor de águas em sua vida pessoal e profissional. “Trouxe um modo diferente de encarar a realidade, a fotografia se tornou parte de mim e de quem sou. Levarei isso, com certeza, pro resto da minha vida”, afirma. Para Gabriel, a formação ultrapassou suas expectativas. “Nunca aprendi tanto em poucos meses, senti uma grande evolução desde o começo até o términio do curso”, pontua. E assegura aprendeu muito mais que fotografia. “Também a ter uma maior sensibilidade a tudo que está ao nosso redor, a criticar e entender melhor sobre o mundo em que vivemos e descobri que realmente encontrei o que pretendo ser, um fotógrafo, e viver disso”, considera Gabriel.

Comunidade-3Outros alunos também viram, nos cursos de gratuidade do Senac, uma forma de guinar a vida pessoal e profissional. Marcelo Schon Molitor, aluno do curso de Pizzaiolo, garante que tem aprendido muito. “Comecei do zero, não tenho experiência na cozinha e já está fazendo diferença, me viro em casa”, conta, animado. Michelly Rigo, aluna do curso de Cabelereiro Profissional, e Aparecida Soez, aluna do curso de Podologia, procuraram o Senac para aperfeiçoar a carreira que já seguiam. Michelly abriu um salão e, por isso, decidiu procurar o Senac. “O curso atendeu às minhas expectativas e a minha vida profissional cresceu muito”, diz. Já Aparecida, que já era manicure, pode lidar com outros problemas das suas clientes. “Minhas clientes sempre comentavam sobre a podologia. Decidi buscar mais conhecimen- to e agora sei lidar melhor com os problemas que apresentam”, complementa.

Em 2014, o Senac tem R$ 2 milhões plane- jados para PSG na nossa região. Além disso, Matheus afirma que os cursos nunca buscam apenas a técnica pela técnica. “O Senac desenvolve uma metodologia para que o aluno adquira competências: saber fazer, mas saber ser”, enfatiza. Por isso mesmo, os cursos têm disciplinas de ética e cidadania, empregabilidade e trabalho em equipe, para uma formação mais global e reflexiva sobre sua condição de trabalho. “São programas transformadores de fato”, finaliza Matheus.

Texto: Paula Fernandes

Foto: Kamyla Paola Santana